Glossário Técnico

 

ORIENTAÇÃO TÉCNICA SOBRE APROVAÇÃO E CONCENTRAÇÃO DE PRINCÍPIOS ATIVOS

a) Os princípios ativos, para serem utilizados na produção de cosméticos e medicamentos, necessariamente precisam ser aprovados pelos órgãos competentes de saúde e vigilância sanitária mundiais e constarem do INCI. Para tanto, estas matérias-prima passam por rigorosos testes – de eficácia, de irritabilidade dérmica primária e acumulada, de toxidade, etc.

b) Nestes testes são avaliados, sob rigorosas condições: Os benefícios e malefícios causados pelos ativos testados. A toxidade de cada um. O potencial alergênico, irritativo e sensibilizante. A concentração ideal para trazer benefícios propostos e quais os benefícios reais Proporcionados.

A concentração em que um determinado princípio ativo deixa de ser benéfico e passa a ser danoso, tóxico, alergênico, comedogênico, etc, e quais os danos causados e a extensão dos mesmos.

O tempo de uso necessário para proporcionar benefícios ou causar danos, em cada concentração.

A relação custo x benefício, em termos de serem apropriados ou não para consumo humano ou animal.

Isso, entre tantos outros testes.

c) Após estes e outros testes, a matéria-prima é aprovada ou reprovada pelos órgãos internacionais competentes, de saúde pública e de vigilância sanitária.

d) É importante observar que milhares e milhares de princípios ativos pesquisados durante anos e mais anos, não são aprovados pelos cientistas e laboratórios internacionais - nem pelos órgãos competentes já citados -, por não apresentarem benefícios significativos comprovados e/ou por se mostrarem comprovadamente lesivos ao ser humano.

e) Portanto, em tese, todas as matérias primas aprovadas internacionalmente pelo INCI, FDA e CTFA, são absolutamente eficazes e seguras para o consumo humano, desde que usadas nas concentrações ideais para trazerem os benefícios largamente testados e comprovados, sem causarem danos ou lesões ao ser humano.

f) Outra questão que deve estar sempre presente nesse assunto, é a concentração aprovada e/ou permitida para qualquer princípio ativo utilizado.

USAREMOS COMO EXEMPLO A IMPORTANTE VITAMINA A: EXISTE UMA CONCENTRAÇÃO IDEAL PERMITIDA, pesquisada e testada durante muitos anos por laboratórios e cientistas internacionais, e aprovada pelos órgãos internacionais competentes já citados, que traz resultados benéficos e não é prejudicial nem lesiva ao consumo humano.

EXEMPLO: A Vit.A, quando usada na concentração ideal para os propósitos a que se destina, é importantíssima para promover a regeneração celular (ex: dermocosméticos contendo Vit.A em concentrações ideais, auxiliam na regeneração de peles maduras, cansadas, desnutridas, danificadas), como auxiliar para desenvolver uma boa visão, entre outras funções.

ABAIXO DAS CONCENTRAÇÕES IDEAIS E PERMITIDAS, determinadas matérias-prima não exercem nenhum tipo de benefício, são inócuos, não atuam.

EXEMPLO: Cosméticos contendo Vit.A em concentração abaixo da ideal não trazem a regeneração proposta e esperada.

ACIMA DAS CONCENTRAÇÕES IDEAIS E PERMITIDAS, determinadas matérias-prima poderão causar lesões e danos ao ser humano.

EXEMPLO: A mesma Vit.A, tão indispensável para a boa regeneração celular e boa visão, quando usada acima da concentração ideal, por longo período de tempo, causa hipervitaminose, sendo então altamente danosa ao ser humano, causando graves lesões degenerativas celulares.

UTILIZADAS NAS CONCENTRAÇÕES IDEAIS E PERMITIDAS (que é o que a ESSENZIALI faz), os princípios ativos exercem os benefícios propostos e esperados, de forma segura, rápida e eficaz.

g) Mas é importante saber que, a despeito de todos estes testes técnicos-médicos-científicos sérios e rigorosos, existem laboratórios não sérios, concorrentes entre si, que, quando estão por lançar alguma matéria-prima nova, similar à outra que já existe no mercado (e que já foi aprovada pela comunidade científica internacional), fazem-no usando outra denominação e com custo 10 vezes maior (o que certamente encarecerá drasticamente os produtos que os usarem). Sendo assim, estes laboratórios concorrentes usam um expediente bastante conhecido e comum neste ramo que é o de, primeiramente, "plantar" (através da mídia eletrônica, televisiva, escrita e falada) notícias vazias e sem embasamento técnico-científico sobre o produto / matéria-prima que eles querem retirar do mercado, de forma a entrarem em seguida com o novo produto/ matéria prima deles, que apresentam como "a grande solução do problema", que na verdade não existe (pois foram eles mesmos que o criaram).

Por isso é muito importante, ao tomar conhecimento de uma notícia sobre este assunto, entrar em contato com a nossa empresa, para informar-se sobre a validade e seriedade da notícia em questão, pois o nosso corpo técnico está sempre atualizadíssimo e bem informado sobre todas estas questões, já que mantemos parceria com Laboratórios Internacionais sérios que nos prestam assessoria e nos dão suporte técnico-científico.

GLOSSÁRIO TÉCNICO ESSENZIALI

EM TEMPO:

Este glossário contém a relação de algumas matérias-prima - e suas propriedades – utilizadas nos cosméticos em geral e nos dermocosméticos Essenziali em particular.

A grande maioria dos princípios ativa abaixo descrita é utilizada pela Essenziali em suas formulações. Algumas matérias-prima não utilizadas pela Essenziali também constam deste glossário, para fazer a diferenciação entre as ações dos dermocosméticos Essenziali e as dos cosméticos tradicionais (ex: diferencial de ações entre microesferas de polietileno X sílica).

Você encontrará aqui registrados, lado a lado, o nome químico e o nome comercial das matérias-prima, para facilitar o entendimento, pois a publicidade dos cosméticos informa, em geral, o nome comercial dos princípios ativos, enquanto nos Registros e Notificações dos produtos à ANVISA/ Ministério da Saúde, e nos rótulos dos produtos, obrigatoriamente devem constar o nome químico das mesmos. Em caso de dúvidas ou se necessitar de maiores esclarecimentos, entre em contato com a empresa.

É BOM QUE VOCÊ SAIBA O QUE É...